Web - Amor é destino? ♥ Parte 20






Pedro:
Você sabe que eu te amo? :}
Carol: Sei :B – eu mordi levemente o lábio inferior dele, fazendo com que me desse outro sorriso – Você sabe que eu te amo? :}
Pedro: Eu sinto. – ele fechou os olhos e aproximou sua cabeça do meu peito, fazendo com que ambos fizéssemos silêncio e apenas escutássemos as batidas do meu coração *-*
Meu coração batia rapidamente feliz contra o meu peito, me fazendo sorrir involuntariamente. Ele se levantou, voltando a me fitar, com um brilho diferente nos olhos.
Pedro: Você é perfeita! *-*
Carol: Você é meu tudo! *-* – ele continuou me olhando, com um certo brilhinho nos olhos *u*
Pedro: Você confia em mim, vida *-* – ele sorriu, me fazendo estremecer.
Carol: Mais que tudo.


Ele voltou a me olhar com um sorriso lindo, até que foi se aproximando lentamente de mim, tocando por fim seus lábios nos meus. Eu senti uma alegria incomparável tomar conta de mim, me fazendo sorrir em meio ao beijo :B Mais uma vez ele terminou o beijo com um selinho, então me pegou no colo olhando fixamente nos meus olhos, me deitou sobre a cama fofinha e me beijou.
Eu sentia que estava pronta pra fazer amor com o homem que eu amava :o e que eu tinha certeza que me amava também. A cada movimento, cada toque dele na minha pele, me fazia sentir uma alegria ainda maior, parecia que o amor que eu sentia por ele inchava dentro de mim.
Porém, acabando com toda a magia possível no universo, ouvimos alguém bater á porta, e nessa hora paramos, estáticos ¬¬
xxxx: Serviço de quarto. Seus amigos pediram para que eu os avisasse de que o almoço está servido :)


Nós ficamos em silêncio por um longo tempo, enquanto a mulher aguardava uma resposta, do lado de fora do quarto.
Pedro: T-tudo bem, obrigada :s
Ouvimos seus passos se distanciando do quarto, então ele olhou pra mim. Eu olhei pra ele aflita, com o coração aos pulos, como se ela tivesse entrado e nos pego no flagrante
Carol: É melhor nós dois irmos :$ – eu me levantei rápido, acabando com qualquer restinho de clima que pudesse ter restado.
Pedro: É. Você tem razão
Ele voltou para o banheiro com uma bermuda e uma regata e se vestiu rapidamente. Voltou com os cabelos ainda úmidos, passando a mão delicadamente por eles.
Eu peguei as chaves do quarto e nós saímos, eu tranquei a porta e nós descemos até o salão de mãos dadas. Eu não conseguia sequer olhar pra ele, tamanha era a vergonha que eu tinha :$ Quando chegamos todos nos olharam, com sorrisinhos.
Bruno: Até que enfim, eu já ia morrer de fome --'
Carol: Morreu? *-*
Bruno: Não
Carol: ---'


O Pedro puxou uma cadeira pra que eu pudesse me sentar *-* e se sentou ao meu lado. Nesse momento nossos olhares se cruzaram, e eu corei, morta de vergonha, ao lembrar da nossa tentativa frustrada alguns minutos antes :$ Ele percebeu que eu estava com vergonha e tentou sorrir, mas corou também. Ficamos apenas nos olhando por um tempo, até que minha atenção foi desviada pra Marina, que me cutucava por baixo da mesa.
Eu olhei pra ela, que me perguntava subliminarmente o que havia acontecido entre nós dois. Eu disfarcei, dei um sorrisinho pra ela, me levantei e fui em direção ao banheiro. Alguns minutos depois ela veio atrás de mim, com uma cara de interrogação:
Mari: E então, o que vocês fizeram? *o*
Carol: Não fizemos – eu me sentei numa privada, logo após me certificar de que não havia mais ninguém com a gente.
Mari: Hm, e estavam tão vermelhos por quê?
Carol: Justamente por isso :$


Mari: Não entendi, beijinho :* – ela se encostou na pia, olhando pra mim.
Carol: Nós íamos fazer. Quer dizer, rolou aquele clima, sabe...
Mari: Você não me disse que ainda tinha medo?
Carol: E tenho! Mas na hora, juro que me senti completamente preparada.
Mari: Então...
Carol: Então que eu disse isso a ele, e nós íamos fazer. Só que daí aquela mulher que vocês mandaram bateu na porta e a gente parou D:
Mari: Mentira!
Carol: Sério...
Mari: Droga. Eu falei praquele idiota do Bruno deixar vocês em paz, mas quem disse que ele me ouve?
Carol: HSUAHSAUSHAUSH' Tá parecendo uma esposa falando do marido, de vinte anos de casamento...

Mari: HSAUHSAUSHUASH' Ai, só você, Carol...
Ela me olhou sorrindo, e eu me lembrei do Pedro. Devia ser a décima vez que eu o deixava na mão, e ele sempre era compreensivo comigo :$
Carol: Isso dói, Má?
Mari: Isso o quê?
Carol: Ah, você sabe. Nos meninos... – eu corei – Dói "não fazer"? :$
Mari: Ah, não sei, amiga. Tem caras que dizem que dói muito, mas eu acho que é chantagem, só pra obrigar a guria a fazer.
Carol: Você já fez com o Bruno?
Ela engasgou, vermelha.
Mari: E-eu e o Bruno? Não... Quer dizer, ele me tenta (6)... Mas eu ainda acho que é muito pouco tempo, não sei se posso confiar plenamente nele, sabe?
Carol: Sei... Já comigo é o contrário. Temos um bom tempo juntos, eu sei que posso confiar a minha vida á ele, mas...
Mari: Mas nunca dá certo...
Carol: SHAUSHAUSHAH' É... :$


Eu fui até ela, que segurou meus ombros e sorriu, olhando nos meus olhos:
Mari: Amiga, fica tranqüila. Vai chegar o dia, vai chegar a hora, vai chegar a coragem... Mas no momento certo! Isso nem você nem o Pedro podem mudar... Relaxa! :)
Eu sorri, era impressionante como ela sempre conseguia me acalmar. Ela também sorriu, me abraçando bem forte. Eu agradeci a Deus por ter posto aquele ser tão maravilhoso na minha vida, aquele anjo, que sabia como me deixar bem *--*
Algum tempo depois nós voltamos á mesa, que já estava servida, só aguardando nossa chegada. Eu sorri timidamente para o Pedro, e ele retribuiu, me dando um selinho em seguida. Finalmente almoçamos, pra alegria do Bruno Depois fomos todos para a praia, pra curtir aquele lugar tão lindo.
Eu fui andando lentamente, olhando pro horizonte, até que alguém tocou na minha mão, me fazendo dar um pulinho pro lado.
Pedro: Te assustei? :B
Carol: Assustou :$ – eu voltei a ficar vermelha ao olhá-lo nos olhos.


Pedro: Por que você tá assim?
Carol: Assim?
Pedro: Assim, com vergonha de mim. É pelo que aconteceu? – ele parou logo á minha frente, me obrigando a manter seu olhar.
Carol: Er... É. Quer dizer... eu tô com vergonha pelo que a gente fez, não sei explicar. Desculpa, amor... – eu voltei a andar pela praia, com ele ao meu lado.
Pedro: Não se desculpa, minha linda. O erro foi meu.
Carol: Seu? Que é isso, amor.
Pedro: Era a sua primeira vez. Eu não podia fazer amor contigo, e depois sair pra almoçar, feito um moleque --'
Eu olhei pra ele sem entender. Não era isso que ele queria? :/
Pedro: A sua primeira vez tem que ser especial, por que você é especial. Tem que ser linda, porque você é linda. Tem que ser inesquecível, porque você é inesquecível. E tem que ter todo o amor do mundo, porque é isso que você me faz sentir, vida!
Eu olhei pra ele, que sorria pra mim, feliz. Meus olhos se embaçaram um pouco, com a emoção de ouvi-lo dizer aquilo. Mais uma vez eu constatava: ele era perfeito *-*
Carol: Pra mim, basta ser contigo, amor.
Pedro: Eu te amo, vida. E quero que cada momento que passemos juntos seja perfeito!


Eu sorri, com uma pequena lagrima de felicidade rolando pelo meu rosto, enquanto nós nos aproximávamos um do outro. Quando tocamos nossos lábios, senti novamente como se o amor que eu sentia por ele infamasse dentro de mim. Ele enlaçou minha cintura, e eu lhe abracei o pescoço. Após terminarmos o beijo com um selinho, ficamos assim, unidos, com as testas coladas e os olhos fechados. Durante longos minutos ficamos assim, ligando nossos pensamentos um ao outro. Depois abrimos os olhos ao mesmo tempo, provocando sorrisos um no outro.
Pedro: Você é linda.
Carol: Eu sei SHAUSHAUSHAUSHA' – eu dei um sorrisinho convencido pra ele e ri, então ele ameaçou me fazer cócegas, e eu saí correndo, pra que ele não me pegasse.
Pedro: Cara, até convencida você me seduz... *-* SUAHSAUSHAUH' – ele disse, enquanto corria atrás de mim pela areia.
Carol: Eu sempre te seduzo, moleque!
Eu tentei correr mais rápido que ele, mas eu estava com uma rasteirinha irritante, e ele estava descalço --' Resultado: ele conseguiu me alcançar, pulou em cima de mim e nós caímos na areia, sujando todo o meu cabelo :/


Pedro: E agora, convencida?
Carol: Agora eu te mato, Pedro. Olha só o meu cabelo! – ele olhou pro meu cabelo e riu, de um jeitinho fofo.
Pedro: Que massa, você ta loira! :)
Carol: Não é massa não, besta. Lavei o cabelo hoje! :/
Pedro: Ah, linda. Eu lavo ele pra você, pode deixar! ;D
Carol: HSAUSHASUHASAHS' Sério? *-*
Pedro: Aham ^^
Carol: Hm. Vou cobrar!
Eu sorri pra ele, que me olhou por alguns instantes, encantado. Por fim nos beijamos novamente, praticamente enterrados na areia \o/
Pedro: Eu te amo!
Carol: Eu também *-*

Nós ficamos por um tempo assim, até que o Bruno chegou correndo, tentando jogar areia em nós dois
Carol: Ai, mata ele, Pedro --'
Pedro: Posso? *-*
Carol: Claro, amor *--*
Ele se levantou da areia e saiu correndo atrás do Bruno, que corria feito doido pra dentro d’água. Por fim, o Pedro acabou pegando ele, derrubou ele dentro da água e fez ele rolar na areia, se sujando todo. \/ Ele voltou todo sorridente, me ajudou a levantar e sorriu.
Carol: Meu herói! *o*
Pedro: HSAUSHAUSHAUSHAUSHAU' Minha donzela!
Ele me deu um abracinho, e nós ficamos olhando o Bruno parecendo um porquinho, entrando no mar pra se limpar da areia. HIOEOHIOEHIEI' Ê menino que me envergonha... ;x

Passamos a tarde toda brincando no mar, todos nós. Os mais crianças éramos eu e o Bruno, que desde pequenos fantasiávamos brincadeiras de tardezinha, á beira mar *-* Todos riam da gente, enquanto nós dois fazíamos castelinhos de areia :B HIOEIEOIEOHIOEHI'
Carol: Man, eu sempre sonhei fazer isso na praia *----*
Bruno: Né. Olha que massa o meu, Carol *-*
Pedro: Oun. Ti fofo, zenti! *-* SHUASHAUSAHUSAH'
Mari: Olha que lindinhos que eles são, Pedro! *u*
Ain, me diverti *---* Apesar daquelas duas mulinhas enchendo o saco, deu pra gente ser feliz :D Voltamos para o hotel umas 6:3O, quando começava a escurecer.
Voltei sozinha pro meu quarto ( o Pedro tava batendo papinho com o Bru e o Matheus ), e assim que entrei já tropecei em nossas malas :@' "Droga, melhor arrumar isso logo, antes que essas malas engulam o quarto", pensei. Então peguei as malas e as roupas que haviam caído pra fora delas e joguei sobre a cama. Dobrei cada uma delas com toda a delicadeza possível, depois as distribuí pelas gavetas do quarto. Quando terminei, fiz questão de pegar meus perfumes e os do Pedro e por num só cantnho *-* ( ta, é besta :B )


Depois daquele ritual meio doido, decidi tomar um banho, afinal, eu havia passado a tarde toda brincando na areia Peguei um shampoo de açaí que eu amo *-* e fui pro banho. Liguei as torneiras -' e entrei, tomei um banho demoradíssimo e saí, cheirando a açaí *---* Já devia ser umas sete ou oito da noite, e como eu estava bem cansada, decidi deitar e dormir. O Pedro ainda nãoado, havia chegmas mesmo assim decidi não esperar Deitei e dormi :D Acordei um tempo depois, sentindo beijinhos na nuca :9 Eu abri os olhos e vi que era o Pedro, deitado atrás de mim, abraçado comigo *-*
Carol: Isso é bom...
Pedro: Te acordei, amor? SHUASH'
Carol: Aham :) Faça isso mais vezes *-*
Pedro: HSUASHAUSHAUSH' Pode deixar! – eu me virei de frente pra ele e ele sorriu – Cheirinho bom que você tem, paixão.
Carol: Eu? Magina... :$ – ele se aproximou de mim, cheirando meu pescoço, provocando arrepios na minha pele.
Pedro: Tem sim. Um cheirinho seu, de mais ninguém. – eu olhei pra ele, sem saber o que responder Ele apenas sorriu pra mim, depois me deu um selinho e levantou.
Pedro: Você não quer comer?
Carol: Que horas são? – eu me sentei na cama, esfregando os olhos.
Pedro: Sei não... Umas nove e pouco :)
Carol: Nossa, achei que já era de madrugada --'
Pedro: Né não, dorminhoca. SUAHSAUSHAUSH' Anda, vamos descer! :)
Carol: Espera, deixa eu por uma roupa. – eu ainda estava de roupão e lingerie
Pedro: Tudo bem. :) – ele saiu de perto da cama e foi até o banheiro.


Eu me levantei e fui até a cômoda á frente, e tirei um shortinho e uma bata da primeira gaveta. Antes de me vestir, eu fui até a penteadeira, onde estavam nossos perfumes, e peguei um suave, e passei um pouquinho atrás das orelhas. Quando me virei pra pegar as roupas dei de cara com o Pedro, encostado na porta do banheiro, me olhando sério.
Pedro: Você é linda! :)
Carol: Er... – eu ainda estava de lingerie, SÓ de lingerie, sem reação alguma – Não era pra você fazer isso :$
Pedro: Isso o quê?
Carol: Me ver... Assim... :$
Pedro: SHUAHSAUSHUASH' Eu já disse que você me seduz? *-*
Ele saiu da porta do banheiro e veio até mim, me cobrindo de novo com o roupão. Eu achei lindinho o que ele fez, então dei um beijo nele. Ele retribuiu o beijo, me abraçando e fazendo carinho nos meus cabelos. Eu o abracei mais forte, e ele apenas sorriu, se afastando de mim.
Pedro: Eu te amo! :) – ele me deu um selinho e foi até a porta – Te espero lá em baixo! – depois saiu.


Eu me troquei rapidamente, penteei os cabelos, peguei as chaves e desci. Quando cheguei lá em baixo, vi que algumas pessoas ainda estavam nas mesas, comendo. Eu fui andando entre elas, até finalmente ver o Pedro numa das ultimas, olhando pra uma TV á sua frente. Eu sorri, indo até ele.
Carol: Vai jantar também? :)
Pedro: Aham. To morto de fome.
Carol: HSAUSHAUSAH' Onde você estava?
Pedro: Eu?
Carol: Enquanto eu dormia...
Pedro: Ah, tava no quarto do Matheus.
Carol: Hm :)
Ele sorriu, e logo depois chegou o garçom, trazendo consigo dois pratos de batatas fritas *--*
Pedro: Desculpa, amor. A comida já acabou...
Carol: SHAUSHASUAHSH' Tem problema não. Você sabe que eu AMO batata frita *-*
Pedro: Mas isso te 'sustenta'?
Carol: Se for um monte, sim...
Pedro: SHAUSHAUSHAUSHAHSUAH'
Nós ficamos lá, comendo e falando besteiras, até que chegaram a Mari e o Bru, abraçadinhos *-*
Bruno: Oun. Como vocês adivinharam? – ele deu um sorrisinho e pegou duas batatas do MEU prato, dando uma na boca da Mari *-*e comendo a outra :@
Carol:
Dá pra tirar as patinhas das MINHAS batatas? --'
Bruno: Beleza... – ele fez cara de medo e sentou do lado da Mari.
Carol: Brigaada! *--*


A Mari abraçou ele feito criancinha, enquanto o Pedro desfazia a minha raiva com um selinho *-*
Mari: Povo bobo...
Carol: HSUASHAUSHAUSH' Nada a ver, cunhaaaaada :}
Ela riu, então pegou uma batata frita do MEU prato e colocou na boca do Bruno --'
Carol: Eu mereço? ---' – eu olhei pro Pedro fazendo bico, então ele deu um sorrisinho perfeito, pegou uma batata do prato dele e pôs na minha boca *-*
Pedro: Eu te dou a minha, linda. Deixa esses dois pra lá :) – ele se virou pra eles e mostrou a língua, depois riu.
Bruno: Deixa esses dois pra lá, nada. Eu sou o seu irmão mais velho, neném :D Tudo o que é seu, é meu! ;) – ele pegou mais uma batata do meu prato e pôs na boca.
Carol: SUHASUAHSUAHS' Até que você é engraçadinho – eu mostrei a língua pra ele, e nós rimos.
Bruno: É claro que eu sou! :}

Nós ficamos no restaurante durante um bom tempo, voltamos e já era mais de meia noite, todos rindo de uma piada besta do Bruno :D Eu e o Pedro entramos no quarto, rindo feito bobos, até deitarmos na cama e dormirmos, abraçadinhos *--*
No outro dia acordamos tarde e fomos almoçar num restaurantezinho da cidade. Passamos a tarde toda passeando por lá, comprando lembrancinhas e tirando fotos. No decorrer da semana, fizemos vários passeios, indo pra todos os lados, tirando fotos até do vento


Quinta-feira, O9:3O.
Pedro: Bom dia? – ele se deitou delicadamente ao meu lado, me fazendo sentir seu cheirinho gostoso *-*
Carol: Bom dia, amore. – eu sorri – Que horas são?
Pedro: Umas nove e pouco. :)
Carol: Hm, por quê me acordou tão cedo?
Pedro: Cedo? SHAUSHAUSAHSUH'
Carol: Tá... Não TÃO cedo... Mas podia ter esperado mais um 'cadim', né? :)
Pedro: HSUASHAUSHA' Ahaaam. – ele sorriu e beijou meu ombro – Ta afim de curtir o dia hoje? :)
Carol: Claro *-*
Pedro: Beleza. Vamos então! :D

Eu me ajoelhei na cama, mostrando que ainda estava de pijama.
Carol: Aham ¬¬'
Pedro: Te espero lá em baixo em 4O minutos. Te amo! *-* – ele sorriu, me deu um selinho e saiu, todo lindo *-*
Eu me levantei, corri pro banheiro e tomei um banho rápido. Depois saí, peguei um vestidinho branco e um biquíni rosa, depois peguei um chinelinho branco e minha bolsa. Passei um pouco de protetor solar e um perfuminho leve :) Peguei as chaves, tranquei o quarto e desci. O Pedro estava lá no saguão, sorrindo pra mim com os braços abertos, lindo *-*

Carol: Demorei? :)
Pedro: Nem :D Vamos? *-*
Carol: Claro, amor :} Pra onde?
Pedro: Segredo ;D – ele piscou pra mim e me puxou, sorrindo.
Carol: Pra variar, né? – eu fiz pose e ele riu, me dando um selinho.
Saímos do hotel e demos de cara com um Jeep, daqueles bem praieiros, muito massa *o* Ele abraçou minha cintura até chegarmos lá, depois me soltou e abriu a porta pra mim *-*
Pedro: Pronta?
Carol: Sempre! :D – nós sorrimos e ele beijou a minha testa.
Entramos no carro e o Pedro ligou o rádio, que começou a tocar "Vem buscar o que é teu", Inimigos da HP *-* Ele olhou pra mim, me deu um sorrisinho tentador e uma piscadinha :} IHOEHIEOHIEOHI' Eu sorri também, cantando junto com a música.
Pedro: Juro não me canso de esperar. Vamos comemorar, hoje é um grande dia! ♫ :*


Ele dirigiu rumo á cidadezinha que tinha perto dali, durante quase uma hora, até chegar ao outro lado da praia. Ele desceu, deu a volta no carro e me ofereceu a mão, pra que eu pudesse descer também. Eu aceitei e ele sorriu, me guiando em direção ao mar, onde havia um barquinho bem bonito. Nós subimos e logo em seguida ele pegou os remos, virando-se de frente pra mim.
Carol: Deixa que eu ajudo! :) – eu me ofereci pra pegar o outro remo e ajudá-lo, mas ele apenas sorriu e desviou.
Pedro: Magina, princesa. Hoje é o seu dia :)
Carol: O meu dia?
Pedro: Aham. Hoje você só vai curtir, deixa que eu te faço feliz! – ele fez carinho na minha bochecha depois voltou a remar, lentamente.
Eu fiquei sentada, na ponta do barquinho, debaixo de um guarda-sol, olhando pra ele. Ele apenas sorria pra mim, mandando beijinhos, vez ou outra. Parecia aqueles filminhos de época, onde a menina fica toda 'pomposa' debaixo do guarda-sol e o menino dá uma de cavalheiro, se matando debaixo do sol *-* HIEOHIEOHIEOHEI'


Depois de mais algum tempo, nós chegamos a uma pequena ilha, onde tinha uma casinha, lá ao fundo. Eu olhei pra ele sem entender, então ele desceu do barco e me puxou pela mão, enquanto eu me descabelava com o vento.
Pedro: Sabia que você ta linda assim? – ele sorriu pra mim, enquanto eu virava o boné dele pra trás, deixando á mostra uma gota de suor :o
Carol: HSUAHSUASHUAH' Você também! – eu apertei as bochechas dele e ri.
Pedro: Você sabe que eu te amo, né, gatita? :}
Carol: Oun *-* Eu sei :} – nós nos abraçamos – Você sabe que eu te amo, gatito?
Pedro: Voce sabe que eu sinto *-* – ele sorriu, me dando um beijo na testa – Hoje eu só vou curtir VOCÊ! *-*
Carol: Eu? :$ SHAUSHASUAH'
Pedro: Aham. Hoje o dia é nosso, só nosso. Sem ninguém pra atrapalhar, falar, encher o saco ou chamar pra almoçar :D – nós nos abraçamos e ele riu.


Ele me soltou e sorriu, andando pela areia enquanto puxava minha mão. Nós fomos andando por uma pequena trilha, até chegarmos a um jardim, nos fundos da casa, enooorme *-* Nós fomos andando, com os pés na grama verdinha :} até chegarmos a uma árvore bem grandona, com uma toalhinha colorida estendida no chão.
Carol: Você já tinha tudo pronto, espertinho?
Pedro: Nem tudo. Faltava a pecinha mais importante, a mais lindinha :} – ele me deu um selinho e riu – Eu te amo, minha baixinha *3* – ele fez 'cara de gatinho', liiindo *o* HEOIEOHEIHOEHIEOHIE'
Eu apertei as bochechinhas dele, fazendo com que elas ficassem um tanto vermelhas, deixando-o ainda mais gatinho *-*
Ele sorriu, me fazendo cócegas :$ Eu tentei desviar, mas ele me pegou em cheio, fazendo com que eu me contorcesse de tanto rir.
Carol: AAAAAAH, PAARAAA! – eu consegui me soltar dele, correndo pra longe – UAAHSUAHSAUSHAUH'
Pedro: Tá correndo de mim, amor? :3 – ele fez carinha de santo e riu – 'Carece' não... SAUHAUSHAUSHA'
Carol: Ahaaaam, HSAUSHAUSHAU'
Eu fui correndo o mais rápido que eu pude, até alcançar a areia, enquanto ele vinha atrás de mim, gritando meu nome e rindo. Finalmente cheguei ao mar, entrando rápido na água :D Acabei não conseguindo mais correr e caí na água, pra variar a minha sorte --'


edro: Carooool?? – ele entrou no mar, rindo feito bobo :x
Carol: Dá pra parar de rir de mim? --'
Pedro: Desculpa amor... Mas foi tão... hilário... SSHUAHSUAHSUASH'
Carol: Sei ¬¬'
Ele veio até mim, me abraçando. Eu o abracei também, esquecendo da raivinha que antes eu sentia... Ele deu um leve beijinho na minha bochecha, depois me olhou, com um sorriso lindo, cheio de amor.
Pedro: Desculpa rir de você, amor. É que tudo em você fica tão lindinho, tão natural, que é impossível não parar pra ver :} – ele tocou meu queixo com a ponta dos dedos – Eu amo você, minha vida! *-*
Carol: Eu é que te amo! – eu segurei o rosto dele entre as duas mãos, depois dei um selinho nele, que fez um biquinho fofo *-*


Ele enlaçou a minha cintura, enquanto eu abraçava seu pescoço. Nós ficamos por um bom tempo olhando um nos olhos do outro, até que nos beijamos. Ele sorriu, me pegou pela mão e foi me puxando pra fora do mar. Nós fomos andando á beira mar, em silêncio, ainda de mãos dadas.
Depois de algum tempo ele quebrou o silêncio e sorriu, olhando pra mim.
Pedro: Já deve ser hora de almoçar. Vamos comer?
Carol: Onde? a.a
Pedro: Lá na casa, linda :) – ele me abraçou os ombros e sorriu, enquanto nós íamos para a casa.
A casa era linda, no estilo daquelas casinhas gostosas de praia. Ela era de madeira, toda branca e cheia de redes e sofás na varanda. Nós subimos as escadinhas, depois ele abriu a porta pra mim *-*
Por dentro a casa era ainda mais fofinha, parecia com os quartos do hotel que a gente estava, só que era mais bonita e decorada de um jeitinho lindo :}
Carol: Uau *o*

Pedro: Gostou da nossa casinha, princesa? – ele me abraçou por trás e sorriu.
Carol: Nossa?
Pedro: Aham :) A partir de hoje ela é o nosso cantinho, o nosso ninho :}
Ele falou 'ninho' de um jeito tão bobo, que eu não me aguentei e ri. Ele ficou de frente pra mim, com uma carinha de indignação.
Pedro: Você ta rindo do nosso cantinho, Caroline?
Carol: Não, amor :D To rindo desse seu 'ninho'... HSUAHSUAHSAUSHA’
Pedro: Fala sério... :/
Carol: SHUAHAUHASUHSA' Menino bobo... – eu enlacei o pescoço dele e sorri, beijando-o com carinho.
xxxxx: Posso servir o almoço, seu Pedro?
Uma senhora de uns 6O anos, muito fofinha *-* apareceu na nossa frente, sorrindo pra nós dois. O Pedro me soltou e sorriu, virando-se pra ela.
Pedro: Maria *-* – ele sorriu, me puxando pra mais perto – Maria essa é a Carol, a mulher da minha vida. Carol essa é a Maria, a cozinheira da minha vida – o
nós sorrimos uma pra utra, depois nos abraçamos – Você tem que experimentar a comida da Maria, Carol. É a melhor *----*
Maria: Ah, que isso seu Pedro :$


Pedro: Que isso nada, Maria. – ele foi até ela, dando-lhe um beijinho na testa – A sua comida é perfeita. – ela corou, abraçando a cintura dele.
Maria: Bom, já que você é a mulher da vida dele, tem que provar da comida da cozinheira da vida dele :D
Carol: Com certeza *-* – eu já estava sentindo um cheirinho delicioso vindo da cozinha, então me rendi logo :}
Nós nos sentamos á mesa, e logo a Maria veio, parecendo uma bonequinha, trazendo a comida. Realmente, era a melhor *-* Eu e o Pedro almoçamos, enquanto ela cuidava do jardim no quintal. Depois que nós terminamos, ela se ofereceu para lavar a louça, mas o Pedro a abraçou, dando um beijinho em sua bochecha.

Pedro: Magina, Maria. Pode deixar que eu lavo essa louça :) Pode voltar pra sua casa, que eu cuido da casa e da Carol :}
Maria: Eu vou então :) Adorei te conhecer, dona Carol :D – ela nos olhou com uma carinha divertida, depois nos deu uma piscadinha – Divirtam-se ;D
O Pedro riu, dando um beijinho na testa dela. Eu a abracei, e ela me olhou carinhosamente.
Maria: Seu Pedro é boa pessoa, viu? – ela apertou minha bochecha e sorriu – E eu sei que você também é :} Espero ver vocês aqui mais vezes :D
Eu sorri, enquanto ela ia embora. O Pedro me abraçou por trás, e nós dois ficamos olhando ela seguir pela trilha, até um barco que estava ancorado ali perto.
Carol: Oun, ela é um amorzinho *-*
Pedro: Não mais que você :} – nós ficamos de frente um pro outro e ele sorriu, me beijando.
Carol: Como você é bobo... – eu me soltei dele e fui para a pia – Que tal lavar essa louça, baby? :D
Pedro: Ah, to afim não... – ele veio até mim, enlaçando minha cintura, com carinha de bebê.

_

Só pra avisar, o próximo post será o último dessa web. bjs ♥

11 comentários:

  1. ja vai acabar ? CAAARALHO ! n sei como vou viver sem isso, só sei que eu vou chorar u.u, eu ja chorei quando o Pedro tava dodoi UASHIAUHSIUAHS '

    Amor é destino ?

    melhor web ^^'

    ResponderExcluir
  2. Jaqueline Rodrigues9 de março de 2010 12:18

    ta Perfeito *-*
    pena qe ta chegando ao fim =/



    A MELHOR WEB *___*

    ResponderExcluir
  3. já o ultimo? ;x vai ter 2ª temp ?

    é otima mesmo (:

    ResponderExcluir
  4. séério vai ser o ultimo post :((
    a web é muuito perf.
    o que me incomoda é a melação, e a carol que não para de chorar :x
    siadsihdaisdhaishdoisdioa
    vida sentimental uó ://
    QUE VENHA A PAAAAAAAAARTE 21 *-----*
    por : daaay L.

    ResponderExcluir
  5. cara já é o ultimo mano?
    eu amo mt essa web 3

    ResponderExcluir
  6. A autora parece que começou a fazer a 2º temporada, mas parou...
    sobre a melação eu tbm nao gosto. Mas pra mim, o que eu menos gosto é sobre essa coisa de jeito moleque. eca HFSDUIFHDSFUIDHSIOFH

    ResponderExcluir
  7. Nossa, cara, ja o ultimo?
    AMEEI ESSA WEB *-*

    ResponderExcluir
  8. A única parte que eu nao gosto é a do pagode.
    A melação tb é meio chato, mas eu to acostumada com Crepúsculo, entao tá tranquilo.

    Mas eu vou sentir muita falta dessa WEB qdo ela acabar...
    Que venha a última parte! =)

    ResponderExcluir
  9. AAAAAAAAAAAAAAAAAAH NÃO PODE ACABAR NÃÃÃÃÃO D':
    essa web é tãããão perfeita, dessa vez tem tudo pra primeira vez dela acontecer e ser mais que especial :D. AGUARDO O FINAL :D

    bjo:*

    ResponderExcluir
  10. NOOOSSA!!

    adorei viu! li as 20 partes ontem e hj,
    não sei se aguentaria ler parte por parte...
    tô quase morrendo aqui de vontade de ler a ultima...

    a coisa do pagode é um saco msm...
    tudo bem que as musicas tem haver com eles, mas...


    beijos

    ResponderExcluir
  11. NAAAAAAAAAAO ACREDITO QUE VAI ACABAR NAAO :@
    seeeerio , nao faz isso cmg D:

    ResponderExcluir