Web - Amor é destino? ♥ Parte 6

Feliz Nataaal Galerinha ♥



Desliguei. Voltei a deitar, rindo á toa, e pensei " isso não é um sonho... Eu realmente beijei esse cara perfeito!..." IHOEIEOIEOHIEHI'
Era domingo de manhã. Eu estava morta de curiosidade pra saber qual seria o programa pra outro sonho daquele, que eu achei que jamais se repetiria. O que ele iria inventar pra me dar aquela sensação de novo? *-*
Corri pro banho. "Seja qual for, eu garanto que vou estar linda pra ele " . Lá, fiz todos aqueles rituais chatos que fazemos pra nos matermos bonitas: depilar as axilas, descolorir os pelos da barriga e das pernas, fazer uma 'touca' cheia de cremes no cabelo, esfoliar a pele, etc., mas com uma diferença: Sorrindo! :D Eu estava feliz demais. Eu iria rever aquele cara que me fazia tão bem, que me falava as coisas certas, que me achava a melhor pessoa do mundo... *-----*
Devia ser quase meio dia quando eu terminei tudo e desci pra almoçar. Eu estava feliz, não conseguia esconder. Arrumei a mesa cantando, e depois saí assoviando pela casa, sem me importar com o meu irmão, me enchendo pra ficar quieta. Minha mãe só olhava pra nos dois sorrindo, enquanto cortava alguns tomates.
A minha felicidade era tanta, que eu até me ofereci pra ajudá-la na cozinha ( isso é o que eu mais odeio fazer ). Fiz tudo feliz, cantando e falando bobagens; ela só me olhava com uma cara meio desconfiada e sorria. Ela mandou meu irmão ir lavar as mãos pra almoçar, e depois que ele foi ela se virou pra mim:
Marta: E então, dona felicidade. Vai me contar o que aconteceu ontem ou não? – pela primeira vez em anos, a minha mãe tinha reparado nos meus sentimentos.
Carol: Ontem? – eu não me sentia segura pra falar. Eu praticamente nunca havia falado com ela sobre meninos, então não sabia o que ela pensava...
Marta: Claro que é ontem! Você chegou quase cinco da manhã, algum 'babado' tem aí... – ela sorriu. Nunca pensei que minha mãe falaria comigo desse jeito, como se fosse minha amiga... Ah, e então ela estava acordada?
Carol: Ah, sei lá mãe... A gente foi pra festa, e foi legal... – eu realmente estava sem jeito, devia estar vermelha como um pimentão...
Marta: Ah, não! A MINHA filha não pode ter ido a uma festa com um cara lindo daqueles, e ter sido só legal... Eu quero detalhes, menina!

Eu olhei pra ela, espantada. Cara, ela parecia uma adolescente falando... IOEHIEOHIEOHIEOHIHO' Não aguentamos e começamos a rir uma da outra. Eu parecia que estava vendo um fantasma, e ela parecia que olhava dentro de mim, morta de rir...
Não resisti e contei TUDO pra ela ( inclusive sobre a ligação dele ), nos mínimos detalhes. Nossa, era muito bom poder dividir os meus segredos com alguÉm. Ela pulava de alegria e dizia toda hora "eu sabia, eu sabia"... Realmente, foi muito engraçado. Depois disso eu olhei ela com outros olhos, meu coração parecia que ia explodir, de tanta felicidade junta. Olhei pra ela e fiz uma coisa que a muito tempo ( pra não dizer há anos ), eu não fazia. Abracei ela bem forte, e vi ali a minha mãe. Ela me abraçou ainda mais forte, e nós choramos ali juntas, felizes e aliviadas. Era como se aquela conversa tivesse ressussitado a mãe e a filha que estavam dentro da gente. Agora nós eramos cúmplices, e eu sabia que poderia contar com ela sempre, porque ela era a MINHA MÃE. *---*

Depois disso nós nos soltamos e fomos almoçar. Nossa, foi o melhor almoço da minha vida. :D
Toda aquela mágoa dela, que estava entalada na minha garganta, deve ter descido junto com a comida ( ou com as minhas lágrimas ), porque eu me sentia cada vez mais leve. Lavei a louça e subi pro quarto, depois liguei o som e fiquei dançando umas musiquinhas... Carol: Alô?
Pedro: Oi, linda! E aí, ainda quer sair?
Carol: Claro. *-* Já escolheu o lugar?
Pedro: Aham. Um lugar perfeito pra gente sonhar!
Nem consegui falar, de tanta emoção *---*
Pedro: Ué. Tá aí?
Carol: Tô... Tô sim... ( meio boba, mas tava ) E que hora a gente vai?
Pedro: Ah, não sei... Tava pensando em daqui uma ou duas horas... O que você acha?
Carol: Perfeito! :D
Pedro: Então tá. Lá pra umas três eu passo aí ,ok? Ah, e vai de short ou calça, que é melhor.
Carol: Pooor quê? oO
Pedro: Segredo. Faz parte do sonho! – aain, morri morri morri *---*
Carol: Tá então.
Pedro: Beijo, linda!
Carol: Beijo, lindo.
Man, eu corri dali feito uma bala HOHIHOEIEOHI' Tava feliz demais, e fui direto estrear o meu diário novo:
Carol: Mããããe! O Pedro ligoou! – eu pulava feito criancinha.
Marta: Aaai, que bom Carol! E aí? *-*
carol: Ele já escolheu o lugar, mas disse que era segredo... Falou que era melhor ir de calça ou short. O que você acha que é?
Marta: Sei lá. Será que ele não vai te levar pra pescar?
Carol: Deus me livre! – a gente só ria... – Aaai, eu tenho que me arrumar, ele passa aqui três horas. ( já eram dez pras duas )
Marta: Então vamos logo, que a minha filha só sai daqui se for linda! HSUASHAUSH'
Nós fomos direto pro meu quarto, e ela já invadiu o meu guarda-roupas.
Marta: Fiiilha, usa esse short, usa esse short!!! \o/
Carol: Esse pano? Não, é muito curto. E se ele pensar que eu sou fácil?
Marta: Ah, ele não é curto Carol! Toma. Veste, veste!
Pus o short e, realmente, constatei que não era tão curto. Até me deixava com as pernas mais bonitas *--* ( agradeci a Deus por ter descolorido o pêlos, tava muito massa :D )
Ela me mostrou umas 15 blusinhas, mas não gostei de nenhuma.
Marta: Filha, essa é linda!
Carol: Claro que não, olha esse buraco nas costas, vão achar que eu cortei... :6

Demorei quase meia hora assim, e por fim escolhi uma regatinha preta ( detalhe: era da minha mãe... ), perfeita! Ela fez um rabo-de-cavalo lindo no meu cabelo ( meio trançado, meio solto... Nunca tinha visto ... *-* ), e eu fiz uma maquiagem bem leve :)
Olhei pro relógio, quinze pras três... Mó friozão na barriga...
Carol: E agora, mãe? O que eu faço?
Marta: Ué. Senta e espera...
Carol: Sentar e esperar? E quem disse que eu consigo?
Marta: Calma, filha! Respira. Você vai ter um dia lindo, por quê ficar nervosa?
Carol: Por isso mesmo!
A campainha tocou, só pra me deixar pior.
Carol: Ai mãe, atende lá! Acho que eu vou vomitar...
Marta: Vomitar? Porque? Tá doida?
Carol: Aaah, meu estomago tá apertado mãe. – vontade de pular no colo dela.
Marta: Isso se chama ansiedade. Respira fundo, e vai lá! Você vai ver que num instante isso passa! :)
Confiei nela, dei um tchauzinho e fui. Quando abri a porta, o Pedro já estava com o celular na mão ( acho que pra ligar pra mim :S ).

Carol: Oi, Pedro. Desculpa ter demorado... Tudo bem ? ( eu adorava fazer essa pergunta pra ele, porque ele sempre respondia o que eu queria ouvir... *-* )
Pedro: Agora tá mais que pefeito! E então, vamos?
Carol: Claro! E que tal você me contar pra onde... ?
Pedro: HSAUSHAUSAHSUAH' Sem chance, Carol! Aliás, você tá linda! *-*
Carol: É, você também não tá de se jogar fora... HSUAHSAUHASUH'
Pedro: Ah, valeu então. Eu ia contar, mas agora também não conto mais!
Carol: Aaah, faz isso não, Pedro! Eu sou curiosa... Conta!!!
Pedro: Hm... Tá. Mas me dá um beijo primeiro! :)
Eu olhei pra ele, e nós sorrimos. Depois nos beijamos levemente, enquanto ele fazia carinho na minha nuca. *-*
Carol: Pronto. Conta? *----*
Pedro: Não... HASUAHSUAHSUSAH'
Carol: Ah, mas você disse que contaria se eu te beijasse...
Pedro: Eu me aproveitei da sua ingenuidade, boba. SHAUSHAUSHASUAHS'
Carol: ¬¬'
Ele abriu a porta do carro, pra que eu entrasse, e me deu um beijinho na testa, sorrindo. *-* Cara, eu tava nas nuvens... Ele pôs pra tocar a copia do meu CD que ele tinha, e disse que tinha escutado o CD inteiro, várias vezes, só pra lembrar de mim... *--*
Eu encostei no ombro dele e fiquei olhando a estrada... Ele era quentinho, me fez pensar como era bom estar ali, enquanto ele cantava as músicas pra mim... Parecia que a gente namorava há anos, tinha uma cumplicidade perfeita, e a gente se completava tão bem ... *--*

De repente, ele parou o carro no acostamento.
Carol: O que foi? – eu levantei de uma vez.
Pedro: Não posso deixar você ver a surpresa, né?
Carol: Ah, faz isso comigo não...
Ele pegou um lenço e vendou os meus olhos, depois me deu um selinho, e riu.
Pedro: Cara, você é curiosa demais. E isso te deixa ainda mais linda!
Nossa, fui no céu e voltei três vezes, ao ouvir aquilo. *--*
Ele dirigiu por mais um tempão, me dando um beijinho na bochecha, de vez em quando. Finalmente o carro parou, e uma ansiedade monstra pulou em cima de mim.
Carol: A gente já chegou? A gente já chegou? Tira isso Pedro, tira! Eu quero veeeer !
Pedro: Calma, que pressa! Deixa eu te curtir mais um pouco! HSAUSHAUSHA' – ele me deu mais alguns selinhos, rindo.
Carol: Você não quer me curtir. Você quer me torturar! – mas é claro que eu estava aproveitando e curtindo ele também. ;)
Pedro: Vem, me dá a mão. Isso, aqui é a porta, vem! – eu devo ter descido parecendo um pato gordo, porque ele não parava de rir – Nãão. Você vai cair! SHAUSHAUSHAUS' Vem pra CÁ, Carol!
A gente foi andando, bem devagar. Parecia que eu estava escalando uma montanha, e hora ou outra ele me puxava pra desviar de alguma coisa.... ( e eu nem procurava motivos pra me agarrar nele toda hora, né... *--^ )
Carol: Já chegou?
Pedro: Não.
Carol: E agora?
Pedro:Ainda não.
Carol: E agora?
Pedro: Fala sério. HSUAHSAUSHAUH' Já vamos chegar, para de perguntar menina!
Carol: Táááá. – subimos mais um pouquinho.
Pedro: Pronto, agora sim.
Ele tirou a venda e me deu um beijão, antes que eu pudesse ver. Quando eu abri os olhos ( depois de quase morrer sem ar... ), eu vi um lugar lindo.
Eu não sabia onde a gente tava, parecia uma fazenda, uma floresta, sei lá... Só sei que era perfeito! A gente tava na parte mais alta, e eu tive certeza que ele tinha me levado ali pra ver o pôr-do-sol ( que estava já começando a descer ), eu fiquei maravilhada com tudo aquilo, parecia um sonho. *-*
Pedro: E aí, gostou?
Carol: E você ainda pergunta? – eu dei um selinho nele – Onde a gente tá?
Pedro: Segredo! Tudo o que você precisa saber é que quando eu vi esse lugar, eu lembrei de você. Não é perfeito? :D
Carol: VOCÊ é perfeito! *-*
Ele me beijo de novo, e e apertou bem forte.
Pedro: Vem, vamos sentar ali. – ele apontou pra uma árvore linda, e me puxou. Ele sentou primeiro, e depois e me encostei nele. Nossa, eu queria ter gravado aquilo, pra poder assistir o resto da minha vida. Parecia um filme...
Nós ficamos ali, abraçadinhos, quando ele começou a cantar "Medo de amar" ( o pôr-do-sol já estava começando *-* ), eu continuei encostada nele, e como se fosse mágica, enquanto ele acabava a música o pôr-do-sol começava.
Carol: Nossa, é liindo! – eu só conseguia dizer isso.
Ele continuou quieto. Daê ele falou *----*

14 comentários:

  1. *-----* qe liindo ♥ da até vontade de chorar !

    ResponderExcluir
  2. aaaaaaaaaah o que ele falou? o que ele falou? - contiinua pleease! :)

    ResponderExcluir
  3. aiiin*----* . a Historiia é linda, perfieta e magica.Sempre deiixa um gostinho de quero maiis.Eu adoro ^^

    ResponderExcluir
  4. aiins,o que ele falou ? *--------*
    continua :/
    amei, história PERFECT ♥

    ResponderExcluir
  5. oor,continua logo.
    to mt curiosa *-* #virando butequeira tbm ;P

    ResponderExcluir
  6. perfeita


    única "expressão" pra definir essa história

    oinh, amei demais, vontade de chorar, de sorrir, de gritar, rsrsrs

    amei

    perfeita!!

    ResponderExcluir
  7. AIIII QUE PERFEITAAAA. *----------*

    ResponderExcluir
  8. ADOREII... História perfeitaa.... Ta no patamar de crepúsculo, quero mais, quero mais, quero mais *-----------*

    ResponderExcluir
  9. aaah, que liindo! *---* Me apaixonei por essa história, é MUITO perfeita!

    ResponderExcluir
  10. Ainda bem q fala q é fatos ficticios no inicin
    pq isso é irreal..
    sei lahh D:

    Talvez possa ser real
    mas num existe muitos homens assim
    talvez parecido mas ah..

    Sei LAH :D

    ResponderExcluir
  11. amei BSPM xomo sou alcolatraa dou maior apoioo kkkkkkk zoaa lindo aqui

    ResponderExcluir